A velha malandragem dos políticos

July 9, 2016

Os políticos de vários partidos, apresentam uma série de manias e defeitos que passam despercebidos por muitos eleitores. Estes hábitos tem por objetivo confundir o eleitor e tem efeitos criminosos sobre o poder de escolha do eleitor em época de eleição. Fique atento a tais comportamentos que tem a função exclusiva de lubridiar os eleitores desinformados é usar a maquina pública como forma de campanha eleitoral. 

Fazer inauguração próximo das eleições

Fazer inauguração no final do mandato e proximo as eleições, segundo alguns especialistas, isso mostra que seu candidato não o respeita, se o respeitasse as obras estariam prontas bem antes do prazo estipuado. É muito comum as obras demorarem, porém fique atento ao prazo. Não é difícial verificarmos obras prontas paradas por meses só esperando a inauguração.

 

Fazer obras próximo das eleições

Fazer obras em ano de eleição, é querer mostrar aos eleitores que o gestor público é eficiente e tem preocupação com sua comunidade. Porém na maioria das vezes é proposital para ajudar no maketing político. 

Nepotismo Cruzado

Nepotismo Cruzado é o ajuste mediante designações recíprocas, ou seja, a contratação de parentes de vereadores como cargos comissionados para trabalhar na prefeitura em troca de apoio ao gestão do prefeito.

A farra dos cargos comissionados

O loteamento de cargos em comissão ocorre da seguinte forma: se o partido "A" ganha uma prefeitura ou governo estadual (ou federal), loteiam-se os cargos em comissão para os filiados ao "A"  e amigos do "A". Quando o partido "B" ganha as eleições seguinte, mudam-se os lotes: os mesmos cargos em comissão passam para os filiados do partido "B"  e sectários de plantão.

O gestores sumidos

É muito comum, gestores públicos de todas as esferas sumirem de seus eleitores após o fim das eleições. Os caras somem, não dão notícias em muitos caso ignoram seus eleitores, fingindo que não viu em via pública, trocam de números de telefones, o gabinete sempre ocupado e indiferentes. Mas esse comportamento muda, em ano eleitoral. Os candidatos se tornam pessoas amaveis, autruísta, solícitos e presentes na comuniadade. Fique a tento a esse tipo de comportamento é muito pragmático, ou seja, você é importante somente quando necessário.  

 

Persoalização da gestão pública

É regra em todo o Brasil, um gestor público ao ganhar as eleições gastar o dinheiro da comunidade com marketing de sua gestão, personificando o patrimônio público com sua logo marcae as cores do seu partido. O recomendado para valorizar o dinheiro público é utilizar o brasão do Municipio ou do Estado e investir esse dinheiro de makting em setores que precisam de investimento.

 

Empregar seus financiadores de campanhas

É outro hábito frequente na gestão pública, empregar a indicação do financiador da campanha do gestor público. Essa indicação por sua vez é muito perigosa, pois tal indicação não vai trabalhar para a comunidade, mas provavelmente vai trabalhar para pagar os investimentos feitos no gestor público. Geralmente são cargos importantes e estratégicos da gestão pública. Muitas vezes o indicado vai atender as demandas de quem o indicou.

 

Inauguração de obras públicas

Um grande desperdício de dinheiro público é inaugurar uma obra pública, gastam muito dinheiro com infrainstrutura, tempo do funcionalismo, param toda uma região só para fazer esse  marketing desnecessário. Tem o absurdo de municipios inaugurarem ruas, orelhão, lombada e outras coisas mais. Só para fazer o marketing eleitoral.

 

Secretários ineficientes

Outro hábito criminoso da gestão pública contra sua população, é a contratação de secretários ineficientes. Ficam andando o dia inteiro de carro oficial, usam telefones exclusivo do serviço público para fins particulares. Chegam ao seu posto de trabalho  sempre atrasados e geralmente saem antes do horário do termino do expediente.

    

 

 

Please reload