Os dez mandamentos do Eleitor

August 22, 2016

Imagem  Cartilha CNBB

 

Para relembrar, em 2012 a CNBB, lançou uma campanha para combater a corrupção e o sufrágio eleitoral,  uma campanha simples baseada na informação.

Essa campanha foi melhor contribuição de uma entidade religiosa poderia fazer na  luta de todos nós  contra a pobreza, miséria e corrupção.

 

 A campanha foi feita com muita propriedade e competência com uma linguagem simples e bem direta aos eleitores cristão católicos e não católicos, a CNBB foi feliz com sua cartilha, percebemos que não é sectarista, não  dissemina o ódio, não orienta seus fieis para algum tipo de voto de cabresto, ou seja,  nos apresentam uma boa aula de educação politica.

 

Segue abaixo os  "Os dez mandamentos do Eleitor"

 

1º. Mandamento – Não deixe de votar

A sua ausência enfraquece a democracia. Se estiver fora do seu domicílio e não for mesmo possível votar, não esqueça de justificar em qualquer local de votação. Se você perdeu o título, não haverá problema, pois você poderá votar com um documento oficial e original de identidade com fotografia que pode ser a carteira de identidade, carteira de trabalho, passaporte ou até mesmo a reservista. Se não souber o local de votação, basta telefonar ou acessar o site da Justiça Eleitoral para obter esta informação. Se você tiver dificuldades de locomoção, informe o cartório eleitoral para disponibilizar a seção adequada.

 

2º. Mandamento – Não vote contrariando a sua opinião

Não mude seu voto por influência da mídia ou deixando-se enganar por armadilhas publicitárias das campanhas eleitorais. Nem sempre o candidato mais simpático é o mais competente.


3º. Mandamento – Não venda seu voto nem o troque por favores

Não só a compra de votos é crime eleitoral, pois o eleitor que vende o voto ou apenas solicita algo em troca do voto está sujeito a pena de quatro anos de detenção.


4º. Mandamento – Não vote para contentar amigos ou parentes

O candidato que é bom para os outros eleitores, nem sempre será bom para você, principalmente se os parentes e amigos trabalharem para algum político.

 

5º. Mandamento – Não vote sem conhecer o programa do candidato e do partido dele

Os candidatos e partidos devem conhecer os problemas da população e ter a capacidade para solucioná-los. Analise se têm condições de cumprir o que prometem.


6º. Mandamento – Não vote sem conhecer o passado do candidato

Com a nova Lei da Ficha “ Limpa”, a Justiça Eleitoral tem sido mais efetiva em afastar os maus candidatos. No entanto, é prudente que o próprio eleitor busque melhores informações acerca da vida precedente dos políticos. A internet auxilia muito nesta busca.


7º. Mandamento – Não vote sem conhecer o caráter do candidato

Ter bom caráter significa viver com moralidade, o que envolve a honestidade, sinceridade, a integridade, a confiança e o comprometimento. Não eleja ou reeleja candidatos sem caráter.


8º. Mandamento – Não deixe nenhuma pesquisa mudar o seu voto

As pesquisas podem influenciar quando é muito grande a margem entre o primeiro e o segundo colocado, mas muito pouco entre os tecnicamente empatados.


9º. Mandamento – Não anule seu voto

Voto nulo: o eleitor quer votar, tem candidato, mas erra por não saber votar; isso ocorre quando confirma o número de candidato inexistente ou abandona a urna antes de concluir a votação. Ao contrário do que se pensa, a nulidade de mais de 50% dos votos não anula a eleição.


10º. Mandamento – Não vote em branco

Voto em branco: o eleitor sabe votar, mas não quer votar ou não tem candidato. É o famoso voto de protesto. O voto branco não vai para o candidato ou partido mais votado.

 

Fonte: Site CNBB

Please reload