Relatos incríveis sobre os Apukás


Sou um viajante e venho relatar uma das mais incríveis experiências que presenciei em contato com uma cultura desconhecida por muitos em Terra Brasilis.

Para começar esse meu relato, tudo começou no Anno Domini MMVII, quando resolvi fazer uma odisseia, uma espécie de ano sabático e aventurei-me em conhecer o mundo, lugares, culturas e nações diferentes. Neste mesmo ano, recebi a informação que havia um lugar diferente, um lugar onde a população era muito exótica e que valeria a pena corre o risco de conhecer esses nativos.


A pouca informação que obtive foi com um sujeito muito estranho, quieto, com um aspecto sereno e com olhos que expressavam uma curiosidade por culturas antigas, seu nome era Chmyz, um bom homem, na verdade um profundo conhecedor de muitas culturas.


O nosso encontro foi próximo de Castro na Província do Paraná, mais exatamente na rota milenar de Peabiru, em uma estalagem onde você poderia conhecer diversos aventureiros, tropeiros e criminosos.


Em nossa conversa, falamos de tudo, bebemos, comemos e no auge de nosso encontro ele me falou sobre um lugar fascinante ao norte do milenar Peabiru, considerado por indígenas como "caminho comprido", o "caminho do Sol" ou o "caminho dos deuses", no qual tinha aproximadamente 4 mil quilômetros de extensão que ligava o oceano Atlântico ao Pacífico, no litoral da província de São Paulo e terminava no Peru.


Esse generoso homem fez algumas ressalvasse sobre o caminho e alertou que tal lugar era diferente de todos, um local quase paradisíaco, não fosse o estranho modo de vida de seus habitantes, esse lugar ficava localizado nas seguintes coordenadas geográficas 23° 33′ 3″ S, 51° 27′ 39″ W, e reforçou seu alerta, que esse lugar existe e se você resolver se aventurar por lá, tome todas as precauções, pois você nunca mais poderá voltar as suas origens, rever os seus ou ver o mundo através do prisma de sua antiga cultura.


É um caminho sem volta, é ultrapassar as fronteiras culturais que você jamais voltará, então fique atento com suas escolhas e suas ambições.


Peguei as coordenadas e segui rumo ao desconhecido, passaram-se 18 luas e finalmente cheguei ao local indicado pelo forasteiro.


Texto inspirado e adaptado da obra de Horace Miner In: A.K. Rooney e P.L. de Vore (orgs) You and the others: Readings in Introductory Anthropology (Cambridge, Erlich) 1976, “Ritos corporais entre os Nacirema”.

Mídia Alternativa independente sem fins lucrativos e sem recursos financeiros - Terras Altas dos  Apukás - Apucarana - Paraná - Brasil

RSS Feed
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2016 / 2020 - Todos os direitos reservados  -  "OS ARGONAUTAS"