O corpo e os rituais dos Apukás


O foco destas atividades e da cultura dos Apukás é o corpo humano, cuja aparência e saúde surgem como o interesse dominante deste povo. Embora tal tipo de interesse não seja, por certo, raro, seus aspectos cerimoniais e a filosofia a ele associada são singulares.


A crença fundamental subjacente a todo o sistema parece ser a de que o corpo humano é repugnante e que sua tendência natural é para a debilidade e a doença. Encarcerado em tal corpo, a única esperança do homem é desviar estas características através do uso das poderosas influências do ritual e do cerimonial.


Os rituais e cerimonias só são possíveis graças a santuários particulares ou coletivos, o interessante e que cada moradia tem um ou mais santuários devotados a este propósito.


Os indivíduos mais poderosos têm muitos santuários em suas habitações e, de fato, a alusão à opulência de uma habitação, muito frequentemente, é feita em termos do número de centros rituais que possui. Muitas são construções de madeira, toscamente pintadas, mas os santuários de culto das famílias mais ricas têm paredes de pedra.


As mais pobres imitam as ricas aplicando placas de cerâmicas às paredes de seu santuário. Embora cada família tenha pelo menos um de tais santuários, os rituais a eles associados não são cerimonias familiares, mas sim privadas e secretas.


Os ritos, normalmente, são discretos apenas com as crianças e, neste caso, somente durante o período em que estão sendo iniciadas em seus mistérios.


Eu pude, contudo, estabelecer contato suficiente com os nativos para examinar estes santuários e obter descrições dos rituais.


O ponto focal é uma caixa ou um tipo cofre embutido na parede. Neste cofre são guardados os inúmeros encantamentos e porções mágicas sem os quais nenhum nativo acredita que poderia viver, principalmente as nativas.


Tais preparos são conseguidos através de uma série de profissionais especializados, no qual tem características de feiticeiros.


Texto inspirado e adaptado da obra de Horace Miner In: A.K. Rooney e P.L. de Vore (orgs) You and the others: Readings in Introductory Anthropology (Cambridge, Erlich) 1976, “Ritos corporais entre os Nacirema”.

Mídia Alternativa independente sem fins lucrativos e sem recursos financeiros - Terras Altas dos  Apukás - Apucarana - Paraná - Brasil

RSS Feed
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2016 / 2020 - Todos os direitos reservados  -  "OS ARGONAUTAS"