O Discurso de Pepe Mujica na Rio + 20.


Uma das figuras publicas mais comentadas pela grande mídia alternativa é Pepe Mujica, nasceu em montevidéu, no dia 20 de maio de 1935, é um político uruguaio. Pepe, é um daqueles sujeitos teve importante papel no combate à desigualdade social em seu país, bem como, foi um ativista durante a ditadura militar no Uruguai, que foi de 1973 até 1985.


Sua história de vida é bem peculiar: já foi deputado, ministro da Pecuária, ministro da Agricultura e Pesca, mais sua maior façanha foi ser Presidente da República Oriental do Uruguai entre 2010 e 2015, e hoje é senador de seu país.

Mais seu maior legado, não foi a legalização da maconha, do aborto, da regulamentação da mídia no Uruguai, ou até mesmo abdicar do luxo no palácio presidencial em seu país.


Para nós “Os Argonautas”, o maior legado de Pepe Mujica, foi suas ações em direção a liberdade, seus discursos em favor da simplicidade, da vida e da solidariedade.


O mais interessante é que “Pepe sempre disse o que pensava. Até mesmo quando ficou conhecido como o presidente mais pobre do mundo por viver com apenas 10% de seu salário e declarou que “as repúblicas não vieram ao mundo para estabelecer novas cortes, as repúblicas nasceram para dizer que todos somos iguais. E entre os iguais estão os governantes”. Para ele, não somos uns mais iguais que os outros. Quando questionado sobre sua pobreza, ele afirma: “Eu não sou pobre, eu sou sóbrio, de bagagem leve. Vivo com apenas o suficiente para que as coisas não roubem minha liberdade.”


E outra frase muito bonita de Pepe Mujica, foi quando proferiu na conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Natural (CNUDN), conhecida também como Rio+20, foi uma conferência realizada entre os dias 20 e 22 de junho de 2012 na cidade brasileira do Rio de Janeiro, cujo objetivo era discutir sobre a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável.


Na ocasião Pepe, deu uma aula de humanidade, deu um show sobre a nossa condição humana diante dos desafios do capital e do egoismo, no meio do discurso ele diz “Pobre no es el que tiene poco, sino que verdaderamente pobre es el que necesita infinitamente mucho, y desea y desea y desea más y más”, a tradução é a seguinte: “uma pessoa pobre não é aquela que tem pouco, mas aquela que precisa sempre de mais e mais e mais".

E para concluir esse post, Mujica em uma de suas entrevistas disse também: “Houve muitos anos em que eu ficaria feliz em apenas ter um colchão”, disse Mujica, se referindo a seu tempo na prisão. Ele até hoje, mesmo como senador ainda doa mais de 90% de seu salário para os mais pobres, e continua afirmando que "Eu não vivo na pobreza, vivo com simplicidade. Necessito de poucas coisas para viver”.


Professor Daniel Mota, possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná- UFPR. Especializado em Ética pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR, pós-graduando na UNESPAR Campus Apucarana, em Gestão de Empresas, e é funcionário da Secretária de Educação do Estado do Paraná.


Mídia Alternativa independente sem fins lucrativos e sem recursos financeiros - Terras Altas dos  Apukás - Apucarana - Paraná - Brasil

RSS Feed
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2016 / 2020 - Todos os direitos reservados  -  "OS ARGONAUTAS"