REVISÃO PARA A PROVA DE FILOSOFIA 3° ANO ENSINO MÉDIO.

August 18, 2017

 

TEXTO DE REVISÃO PARA A PROVA DE FILOSOFIA  PROF. DANIEL MOTA 2° TRIMESTRE 2017 3° ANO ENSINO MÉDIO.

 

MICHEL FOUCAULT 1926 -1984

 

PENSAMENTO DE MICHEL  FOUCAULT

 

Suas teorias abordam a relação entre poder e conhecimento e como eles são usados ​​como uma forma de controle social por meio de instituições sociais.

 

 

 

PRINCIPAIS OBRAS

  • Vigiar e Punir - 1975

  • Microfísica do Poder -1979

VIGIAR E PUNIR -1975

  • É uma obra que alterou o modo de pensar e fazer política social no mundo ocidental.

  • É um exame dos mecanismos sociais e teóricos que motivaram as grandes mudanças que se produziram nos sistemas penais ocidentais durante a era moderna.

  • É dedicado à análise da vigilância e da punição, que se encontram em várias entidades estatais (hospitais, prisões e escolas).

  • É baseado em documentos históricos franceses, as questões sobre as quais se debruça são relevantes para as sociedades contemporâneas.

  • É uma obra seminal que teve grande influência em intelectuais, políticos, ativistas sociais e artistas do séc. XX

 

MICROFÍSICA DO PODER 1979

 

Esta obra explicita como os mecanismos de poder são exercidos fora, abaixo e ao lado do aparelho de Estado. Assim como, mostra-nos a relação de poder e saber nas sociedades modernas com objetivo de produzir “verdades” cujo interesse essencial é a dominação do homem através de praticas políticas e econômicas de uma sociedade capitalista.

 

TEORIA DO PODER

  • Suas teorias abordam a relação entre poder e conhecimento e como eles são usados ​​como uma forma de controle social por meio de instituições sociais.

AS CRÍTICAS DE FOUCAULT  ÀS  INSTITUIÇÕES SOCIAIS

  • Psiquiatria

  • Medicina

  • Prisões

  • Ideias sobre a Sexualidade

  • Relações de Poder e o conhecimento.

PRINCIPAIS OBRAS DE FOUCAULT

  • Vigiar  e punir

  • Microfísica do poder

  • História da loucura

  • Os anormais

A PENA DE MORTE

  • A pena de morte natural compreende todos os tipos de morte: uns podem ser condenados à forca, outros a ter a mão ou a língua cortada ou furada e ser enforcados em seguida.  

A JUSTIÇA E A VIOLÊNCIA

  • A justiça não mais assume publicamente a parte de violência que está ligada a seu exercício.

  • O fato de ela matar ou ferir já não é mais a glorificação de sua força, mas um elemento intrínseco a ela que ela é obrigada a tolerar e muito lhe custa ter que impor.

A NOÇÃO DE PODER EM MICHEL FOUCAULT

 

Há quatro tipos de poder disseminados nas distintas instituições:

  • O poder econômico;

  • O poder político;

  • O poder judiciário;

  • O poder epistemológico.

  • O poder deve ser estudado a partir das técnicas e táticas de dominação, pois, para Foucault (2005) .

  • O poder não existe, o que existe são as práticas ou relações de poder que se estabelecem na sociedade.

  • Dessa forma, ele é próprio do funcionamento da sociedade(...)”

  • Na concepção foucaultiana de poder, existem poderes disseminados em toda a estrutura social por intermédio de uma rede de dispositivos da qual ninguém, nada escapa.

  • O poder único não existe, mas, sim, práticas de poder, o poder não é algo que se possui, mas algo que se exerce.

DEFINIÇÃO DE PODER

  • O poder é uma relação de forças,ou melhor, toda relação de forças é uma “relação de poder”. A força não tem objeto nem sujeito a não ser a força.

 

O PODER DISCIPLINAR E SUAS  PRÁTICAS DISCIPLINARES

 

O poder disciplinar é fruto de transformações da sociedade burguesa, do deslocamento do poder soberano para o corpo social.

  •  A partir de então, o poder se exerceria, na forma de micropoderes ou de uma micropolítica. Tal poder se exerce sobre os corpos individuais por meio de exercícios especialmente direcionados para a ampliação de suas forças.

O PODER DISCIPLINAR E SUAS  PRÁTICAS DISCIPLINARES

 

Estes exercícios tinham como objetivo, o adestramento e a docilização dos corpos.

  • “É dócil um  corpo que pode ser submetido, que pode ser utilizado, que pode ser transformado e  aperfeiçoado” .

A PUNIÇÃO

  • A punição e a vigilância são mecanismos de poder utilizados  para docilizar e adestrar as pessoas para que essas se adéquem às normas estabelecidas nas instituições.

A  VIGILÂNCIA

  • A vigilância é uma tecnologia de poder que incide sobre os corpos dos indivíduos, controlando seus gestos, suas atividades, sua aprendizagem, sua vida cotidiana.

  • o corpo será submetido a uma forma de poder que irá desarticulá-lo e corrigi-lo.

A CLAUSURA PARA FOUCAULT

  • A “clausura” consiste em estabelecer a organização no espaço físico.

  • Na escola, por exemplo, há salas determinadas para cada tipo de atividade, uma ficha com a matrícula do aluno, que indicará sua entrada na escola, seu desempenho escolar.

O CONTROLE DA  ATIVIDADE PARA FOUCAULT

  • O controle da atividade implica em saber utilizar corretamente o tempo, estabelecendo horários rígidos de trabalho, sempre repetitivos e constantes.

O HORÁRIO PARA FOUCAULT

  • Os processos de regularização temporal, herdados das práticas religiosas, passaram a especificar e dividir o tempo, contando os quartos de hora, os minutos e segundos.

A IMAGEM DA LOUCURA

  •  Até o século XVII, a imagem que se tinha da loucura era sua representação medieval de algo místico e desconhecido.

PANOPTICO PARA FOUCAULT

  • O panoptico é definido pela pura função de impor uma tarefa ou um comportamento qualquer individuo.

  • É um sistema de vigilância e controle exercido sobre os presos, os operários das fábricas, e também, nas escolas e nos conventos.

O OBJETIVO DO PANOPTICO

  • O panoptismo é o princípio geral de uma nova ‘anatomia política’ e o objeto  é relacionado com a disciplina.

  • O panoptismo constitui-se uma forma de poder, um saber de vigilância que regula a vida dos indivíduos.

  • É o protótipo dos sistemas sociais de controle e vigilância total presentes na atualidade.

HANNAH ARENDT (1901-1975)

Conhecida como a pensadora da liberdade (1901-1975) viveu as grandes transformações do poder político do século 20.

Estudou a formação dos regimes e defendeu os direitos individuais e a família, contra as "sociedades de massas" e os crimes contra a pessoa.

A CONDIÇÃO HUMANA

 Enfatiza a importância da política como ação e como processo, dirigida à conquista da liberdade.

 

SOBRE A REVOLUÇÃO

 

É o pensamento liberal contemporâneo, e examina a revolução francesa e a revolução americana, e defendendo que a preservação da liberdade só é possível se as instituições pós-revolucionárias interiorizarem e mantiverem vivas as ideias revolucionárias.

 

AS ORIGENS DO TOTALITARISMO

 

Hannah mostra como a via totalitária depende da banalização do terror, da manipulação das massas.

 

BANALIDADE DO MAL

  • Para Hannah Arendt a "Banalidade do Mal"  surge quando se compadece com o sofrimento, a tortura e a própria prática do mal.

  • É fundamental manter uma permanente vigilância para garantir a defesa e preservação da liberdade.

JEAN-PAUL SARTRE 1905 - 1980

 

EXISTENCIALISMO

  • Jean-Paul Sartre é o maior intelectual do Existencialismo, sua filosofia  proclama a total liberdade do ser humano.

OBRAS DE SARTRE

  • Publica A Náusea – 1938, Publica O Ser e o Nada – 1943, Escreve O Existencialismo é um Humanismo -1946.

IDEIA CENTRAL DO EXISTENCIALISMO DE SARTRE

  • A existência precede a essência

 

CARACTERÍSTICAS DO EXISTENCIALISMO

  • Preocupação com a liberdade humana e a responsabilidade social.

  • Importância individual para fazer escolhas.

  • Explicar todos os aspectos da experiência humana.

O HOMEM NO EXISTENCIALISMO

  • O homem não foi planejado por alguém para uma finalidade.

  • O homem se faz em sua própria existência.

  • Os seres humanos são essencialmente livres, livres para escolher, contudo não são livres para não escolher.

DEUS NO EXISTENCIALISMO

  • Não existe nenhum Deus que tenha planejado o homem.

  • Porque não há  nenhum Deus e portanto nenhum plano divino que determina o que deve acontecer.

ESCOLA DE FRANKFURT - Frankfurter Schule - 1924 -2017

 

Principais filósofos representantes da Escola de Frankfurt:

  • Max Horkheimer (1895-1973)

  • Theodor W. Adorno (1903-1969),

  • Walter Benjamin (1892-1940),

  • Herbert Marcuse (1898-1979),

  • Erich Fromm (1900-1980),

  • Jürgen Habermas (1929).

  • Eles foram responsáveis pela disseminação de expressões como “Indústria Cultural” e “Cultura de Massa”.

  • Escola de Frankfurt, que preocupou-se sobretudo com o contexto social e cultural do surgimento de teorias e valores do mundo da sociedade industrial avançada.

  •  

  • “A Escola de Frankfurt surgiu com o claro propósito de tentar instaurar uma teoria social capaz de interpretar as grandes mudanças que estavam ocorrendo no início do século”

TEORIA CRÍTICA

 

Os filósofos da Escola Frankfurt detectarem a dissolução das fronteiras entre:

  • Informação,

  • Consumo,

  • Entretenimento,

  • Política.

Ocasionada pela mídia, bem como seus efeitos nocivos na formação crítica de uma sociedade.

Os estudos dos filósofos de Frankfurt ficaram conhecidos como Teoria Crítica.

 

INDÚSTRIA CULTURAL PARA  ADORNO E HORKHEIMER

  • Indústria Cultural, sistema político e econômico que tem por finalidade produzir bens de cultura como mercadorias e como estratégia de controle social.

  • Segundo Adorno, os receptores dos meios de comunicação seriam vitimas dessa indústria, sendo induzidos a consumir produtos de baixa qualidade, por seguir uma ideologia imposta às pessoas.

INDÚSTRIA CULTURAL PARA ADORNO E HORKHEIMER

  • A pessoas trocaram os livros, teatros e os concertos musicais, pela TV, absorvendo os mesmos valores.

  • É desta forma que a indústria cultural exerceria controle sobre a massa.

  • Como resultado, ao invés de cidadãos conscientes, teríamos apenas consumidores passivos.

DOMINAÇÃO POLÍTICA PARA OS MEMBROS DA ESCOLA FRANKFURT

  • Nas mãos de um poder econômico e político, a tecnologia e a ciência seriam empregadas para impedir que as pessoas tomassem consciência de suas condições de desigualdade.

  • Os meios de comunicação, tem interesse em obter lucros e manter o sistema econômico.

  • Vendem filmes, seriados, estilos musicais, novelas, não como bens artísticos  e sim como produtos de consumo, contribuindo para alienação das pessoas.

 

PRINCIPAIS OBRAS DA ESCOLA  DE FRANKFURT

 

MAX HORKHEIMER

  • Teoria Crítica e Eclipse da Razão.

THEODOR  ADORNO

  • Dialética do Esclarecimento,  Prismas - Crítica Cultural e Sociedade e Teoria Estética.

HERBERT MARCUSE

  • Cultura e Sociedade, Cultura e Psicanálise, Eros e Civilização, Ideologia da Sociedade Industrial e O Homem Unidimensional.

 

WALTER BENJAMIN

  • A Modernidade e os Modernos,

  • Origem do Drama Barroco Alemão,

  • Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação.

  • Sobre Arte, Técnica, Linguagem e Política.

 

PRINCIPAIS OBRAS DE   JÜRGEN HABERMAS

  • Teoria da ação comunicativa,

  • Técnica e Ciência como “Ideologia”,

  • A Nova Opacidade: A Crise do Estado-Providência e o Esgotamento das Energias,

  • Tendências de Juridicização,

  •  A ética da discussão e a questão da verdade.

PRINCIPAIS OBRAS DE ERICH FROMM

  • O Medo à Liberdade,

  • O Coração do Homem,

  • Psicanálise e Religião,

  • O Espírito da Liberdade,

  • Psicanálise da Sociedade Contemporânea.

 

ZYGMUNT BAUMAN    1925-2017

  • É um dos expoentes da chamada “sociologia humanística” e dedicou a vida a estudar a condição humana.

  • Suas ideias refletem sobre a era contemporânea em temas como a sociedade de consumo, ética e valores humanos, as relações afetivas, a globalização e o papel da política.

  •  Modernidade líquida” para definir o tempo presente.

A SOCIEDADE LÍQUIDA DE BAUMAN

  • A metáfora do “líquido” ou da fluidez como o principal aspecto do estado dessas mudanças.

  • Um líquido sofre constante mudança e não conserva sua forma por muito tempo.

  • A modernidade líquida seria "um mundo repleto de sinais confusos, propenso a mudar com rapidez e de forma imprevisível“.

PRINCIPAIS OBRAS DE ZYGMUNT BAUMAN

  • O mal-estar da pós-modernidade,

  • Modernidade Líquida,

  • Amor Líquido: Sobre a fragilidade dos laços humanos,

  • Confiança e Medo na Cidade,

  • Estranhos à Nossa Porta,

  • Globalização: As Conseqüências Humanas,

  • Comunidade: A Busca por Segurança no Mundo Atual,

  • Capitalismo Parasitário e Outros Temas Contemporâneos.

A MODERNIDADE SÓLIDA

  • Pela estabilidade do Estado, da família, do emprego ou de outras instituições, aceitava-se um determinado grau de autoritarismo.

  • A marca da pós-modernidade é a própria vontade de liberdade individual, princípio que se opõe diretamente à segurança projetada em torno de uma vida estável.

 

A MODERNIDADE SÓLIDA

  • Na modernidade sólida os conceitos, ideias e estruturas sociais eram mais rígidos e inflexíveis  e definidos.

  • O mundo tinha mais certezas.

MODERNIDADE LÍQUIDA

  • Se a busca da felicidade se torna estritamente individual, criamos uma ansiedade para tê-la, pois acreditamos que ela só depende de nós mesmos.

  • O prazer é algo desejado e como ele é uma sensação passageira, requer um estímulo contínuo.

 

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER

LEI CONTRA  A VIOLÊNCIA  DOMÉSTICA E FAMILIAR

 

 A lei prevê punição contra qualquer forma de violência contra as mulheres de todas as idades e classes sociais.

  • Violência psicológica; Violência física; Violência Sexual; Patrimonial Violência;

  • Violência Moral e Tráfico de Mulheres.

LEI MARIA DA PENHA

  • Lei Nº 11.340/2006, é aplicada aos homens que agridem fisicamente ou psicologicamente a uma mulher ou à esposa.

LEI CONTRA CRIMES DE ESTUPRO

  • Lei 12.015/2009, para considerar o estupro como um crime contra a dignidade e a liberdade sexual, reconhecendo que todos os indivíduos, independentemente do sexo.

 

LEI DO FEMINÍDIO

  • Lei 13.103/2015 o  feminícidio é descrito como o assassinato de mulheres simplesmente por sua condição de mulheres.

 

Referências Bibliográficas

 

ARANHA, Maria Lúcia Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando – Introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna 2014.

CHAUI, M. Convite à filosofia. 12 ed. São Paulo: Editora Ática, 2002.

CORDI, Cassiano.  Para Filosofar .  São Paulo. Scipione, 1995.

COTRIM, G. Fundamentos da Filosofia: Ser, Saber e Fazer. São Paulo: Saraiva. 2014.

 

 

Material desenvolvido para auxiliar as aulas de Filosofia do Prof. Daniel Mota. 

 

 

 

Please reload