Resumo Estética & Fenomenologia 3° Anos

October 19, 2017

 ESTÉTICA NA FILOSOFIA

 

O QUE É ESTÉTICA?

  • Estética vem do grego aisthetiké.

  • Refere-se a tudo aquilo que pode ser percebido pelos sentidos.

  • A estética é o campo da filosofia que discute as noções de belo, feio e o gosto das pessoas.

  • Estética é o campo que discute uma das formas específicas de conhecimento humano: a arte.

  • A estética pretende alcançar um tipo específico de conhecimento: aquele que é captado pelos sentidos.

  • A estética parte da experiência sensorial, da sensação, da percepção sensível, para chegar a um resultado que não apresenta a mesma clareza e distinção da lógica e da matemática.

  • Seu principal objeto de investigação é o fenômeno artístico que se traduz na obra de arte.

 

ARTE PARA A FILOSOFIA

  • Arte é uma forma de conhecimento muito específica, pois ela consiste em uma interpretação que o artista faz do mundo.

  • Não existe arte verdadeira ou falsa, mas formas de interpretar o mundo.

  • E a quantidade de interpretações que se pode fazer do mundo são múltiplas.

 

O QUE É JUIZO?

 

JUÍZO : é o ato ou ação de julgar, avaliar e tirar conclusões a partir da comparação

JUÍZOS DE FATO à dizer o que são as coisas.

JUÍZOS DE VALOR à julgar se determinada coisa é boa, ruim, agradável, bonita, feia etc.J

JUÍZO MORAL: é o  ato mental que estabelece-se uma determinada conduta ou situação.

O juízo moral realiza-se a partir do sentido moral de cada indivíduo e responde a uma série de normas e regras que vão sendo adquiridas ao longo da vida. 

JUÍZO ESTÉTICO à julgamos se algum objeto, algum acontecimento, alguma pessoa ou algum outro ser é belo.

 

O BELO PARA PLATÃO

  • Para Platão, o belo está ligado a uma essência universal.

  • O belo não depende de quem observa, pois está contido no próprio objeto.

  • Esse é o ideal das Academias de Arte.

  • Elas tentam fixar regras para a produção artística a partir de uma determinada concepção de belo.

 

O BELO PARA ARISTÓTELES

  • O belo a partir da realidade sensível, deixando este de ser algo abstrato para se tornar concreto, o belo materializa-se, a beleza no pensamento aristotélico já não era imutável, nem eterna, podendo evoluir.

  • O belo aristotélico seguirá critérios de simetria, composição, ordenação, proposição e equilíbrio. 

  • O belo para a esfera mundana, colocará a criação artística sob a égide humana.

 

O BELO PARA DAVID HUME (SÉC. XVII)

  • A Beleza é algo pessoal.

  • Portanto, não pode ser discutido racionalmente.

  • Como diz o ditado popular: “Gosto não se discute”.

 

O BELO PARA IMMANUEL KANT (SÉC. XVIII)

  • O Belo é universal porque julgar algo é uma faculdade de qualquer ser humano.

  • Todavia o critério de avaliação não é a razão, mas os sentimentos.

O BELO PARA GEORG HEGEL (SÉC. XIX)

  • Para Hegel a arte, o gosto e a noção do que é belo muda de acordo com o tempo (dialética).

  • Portanto, a produção de uma obra ou a definição de algo como belo depende mais da cultura de uma determinada época.

  • O que é considerado feio em certo período pode ser belo em outro.

                                                                                

 

  FILOSOFIA DA FENOMENOLOGIA

 

O QUE É FENOMENOLOGIA

  • Fenomenologia é o estudo de um conjunto de fenômenos e como se manifestam, seja através do tempo ou do espaço.

  • É uma matéria que consiste em estudar a essência das coisas e como são percebidas no mundo.

  • A Fenomenologia examina a relação entre a consciência e o Ser.

 

ETMOLOGIA DA PALAVRA FENOMENOLOGIA

  • A palavra fenomenologia surgiu a partir do grego phainesthai, que significa "aquilo que se apresenta ou que se mostra", e logos é um sufixo que quer dizer "explicação" ou "estudo".   

 

EDMUND HUSSERL 

  • O conceito da fenomenologia foi criado pelo filósofo Edmund Husserl (1859-1938).

  • Edmund Husserl foi filósofo, matemático, cientista, pesquisador e professor alemão fundador da Fenomenologia.

 

SUAS PRINCIPAIS OBRAS DE EDMUND HUSSERL

  • Fenomenologia do espírito (1807)

  • Investigações lógicas(1900-1901)

  • Ideia para uma fenomenologia pura (1913)

  • Lógica formal e transcendental (1929)

 

FENOMENOLOGIA DE HUSSERL

  • Para Husserl todos os fenômenos do mundo devem ser pensados a partir das percepções mentais de cada ser humano.

  • O filósofo queria que a filosofia pudesse ter as bases e condições de uma ciência rigorosa.

  • Fenomenologia é um método para a descrição e análise da consciência através do qual a filosofia tenta obter um caráter estritamente científico. 

 

CONCEITOS BÁSICOS FENOMENOLOGIA DE HUSSERL

  • Noema: é o processo de apreensão do objeto por parte do sujeito (consciência), e é o objeto da percepção.

  • Noesis: é o ato de tomar consciência,  é o ato de perceber.

 

CONCEITOS BÁSICOS  FENOMENOLOGIA DE HUSSERL

  • Fenómeno: é o que existe exterior à consciência humana.

  • Conhecimento: é a auto-exploração da consciência reflexiva.

  • Époché: e a redução transcendental, é “reduzir” a realidade ao nível do “consciente”.

 

MÉTODO CIENTÍFICO PARA HUSSERL

  • O método científico é determinado por ser uma "verdade provisória“.

  • Algo que será considerado como verdadeiro até que um fato novo mostre o contrário, criando uma nova realidade. 

 

PREOCUPAÇÃO DE HUSSERL  COM A FILOSOFIA

  • Para que a filosofia não fosse considerada uma "verdade provisória“.

  • Husserl sugere que a fenomenologia devia referir-se apenas às coisas como estão na experiência de consciência, e que devem ser estudadas por suas essências.

  • Eliminando os pressupostos do mundo real e empírico de um objeto da ciência. 

 

O PENSAMENTO NA FENOMENOLOGIA  PARA HUSSERL

  • O pensamento da fenomenologia de Husserl, imagina-se um quadrado, como forma geométrica.

  • Esse quadrado, não importa o tamanho que tenha, seja grande ou pequeno, sempre será um quadrado em essência na mente de um indivíduo.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Please reload