O vice-almirante Othon peitou os EUA!

October 22, 2017

 

O vice-almirante Othon Pinheira da Silva vai responder em liberdade! Sua reputação no meio acadêmico e cientifico  é magnifica, é um verdadeiro herói brasileiro, mas infelizmente vem sendo  execrado, e imputados crimes que não condizem com sua conduta,  a prisão ocorreu após uma delação  feita na Lava Jato que para muitos analistas é uma operação ligada ao departamento de defesa  dos EUA.

 

A prisão  do vice-almirante Othon Pinheira da Silva, para alguns periódicos,  é um ato duplo de "sabotagem do mais importante projeto de Defesa do Brasil, o submarino nuclear, assim como da tecnologia das centrífugas, a produção barata de urânio enriquecido que enche de inveja as próprias potências nucleares".

 

O vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, concedeu uma entrevista a revista Carta Capital, a entrevista é  muito interessante e reveladora, nesta entrevista faz diversos comentários sobre a verdadeira função da Lava Jato e quem realmente estão orquestrando para derrubar nossa soberania.

 

O vice-almirante Othon, declarou-se inocente das acusações que culminou com 43 anos de prisão, e em suas declarações esclarece que sua prisão e exclusão do cenário energético do país interessa, sobretudo, "ao sistema internacional preocupado com o fortalecimento de um dos países integrantes dos BRICS"; O vice-almirante Othon afirmar: "os brasileiros transnacionais, muito provavelmente, ficaram satisfeitos com o meu processo e a minha saída do cenário".

 

O vice-almirante, nos apresenta um conceito pessoal de "brasileiros transnacionais", são aqueles que, embora tenham nascido neste belo país, gostariam de ser cidadãos de outros países, em particular dos Estados Unidos. Não dão importância aos grandes problemas e desafios nacionais, não se preocupam em resolvê-los e, às vezes, em proveito próprio, não se importam em agravá- los. Minha condenação interessa ao sistema internacional contrário aos BRICS".

 

A trajetória  do vice-almirante Othon é muito magnifica, ele que foi o responsável pela  "viabilização, com tecnologia nacional, do enriquecimento isotópico de urânio e de todas as demais etapas do ciclo do combustível nuclear", além disso, ele e sua equipe desenvolveram equipamentos e tecnologia para construção de instalação nuclear para submarinos, incluindo a fabricação.

 

"Esse programa provocou grande impacto no cenário internacional. Uma evidência disso é o fato de eu ter recebido, em um mesmo dia, na sede da Eletronuclear, as visitas do subsecretário de Energia dos Estados Unidos e do ex-primeiro-ministro da Rússia e presidente da empresa estatal de energia atômica Rosatom, Sergey Kiriyenko", destacou.

 

Segundo seu advogado Fernando Fernandes, "o vice-almirante Othon, não tem nada que seja incompatível com as  quatro décadas de vida profissional, acrescenta ainda, que ele não possui  bens e nem faz ostentação, e  até o momento, ninguém provou que ele cometeu algum crime vinculado a função".

 

“O almirante  é um brasileiro que dedicou a vida ao projeto científico nuclear. É o mais importante cientista que temos nesta área. Ele é acusado pelo recebimento de R$ 3 milhões, o que não tem o menor sentido, pois se tratava de um estudo científico pelo qual recebeu. Ele não é acusado de receber porcentagem de obra da Eletronuclear. É um homem inocente, está condenado à pena mais alta da Lava Jato. Portanto, nós acreditamos que a condenação poderá ser revertida”, sustentou Fernandes”.

 

O alemão Wernher  Von Braun, colaborador do nazismo, foi santificado quando trouxe a boma atômica para os EUA, o vice-almirante Othon Pinheira da Silva, desenvolveu métodos de enriquecimento do urânio que são objeto da cobiça internacional.Talvez seja, esse seu maior crime, imputado pelos "brasileiros transnacionais".

__________________________________________________________________________________________________________

Fonte:

Carta Capital

 

Please reload