top of page

A Doce Ilusão e Desafios da Ideia de Meritocracia

Recentemente, tenho vistos diversos perfis de gurus efêmeros que nos apresentam diversas maneiras de ficar rico, e também, nos apresentam formulas fantásticas de como superar desafios para ser tornar um ser de sucesso no mundo corporativo.

Isso, me levou a fazer esse texto, no qual vamos abordar ideias simples sobre a meritocracia.  

Bem, a meritocracia, em sua essência, preconiza a recompensa com base no mérito, proporcionando oportunidades iguais para todos, independentemente de origem ou status social. No entanto, à medida que a sociedade evolui, críticos têm apontado para desafios e limitações inerentes a essa abordagem.

Um dos principais desafios à meritocracia reside na falta de equidade inicial,indivíduos nascem em contextos sociais e econômicos diversos, influenciando significativamente suas oportunidades desde o início. A meritocracia presume igualdade de condições, mas a realidade é que nem todos têm acesso às mesmas oportunidades educacionais, de saúde e econômicas desde o nascimento.

Outro equivoco é acreditar que privilegiando habilidades específicas, você chegará ao sucesso, na realidade, a meritocracia muitas vezes valoriza certas habilidades específicas, como habilidades acadêmicas ou técnicas, em detrimento de outras habilidades igualmente valiosas, como habilidades artísticas, interpessoais ou criativas. Isso pode levar a uma avaliação limitada do mérito, não reconhecendo completamente a diversidade de talentos e contribuições.

Ahh! Não podemos esquecer, do drama da desigualdade de acesso à educação, pois, a qualidade da educação recebida desempenha um papel crucial na meritocracia. A desigualdade no acesso à educação de qualidade pode resultar em oportunidades desiguais para desenvolver habilidades e competências, minando o princípio fundamental da meritocracia, porém, tem pessoas, gurus efêmeros, que fecham os olhos para essa perspectiva.  

Em uma conversa com meu filho esses dias, entramos no viés da avaliação de mérito, pois, é bem comum, você perceber listas de pessoas que atingiram seus objetivos ou metas no trabalho, e essas pessoas geralmente são exaltadas, colocadas na vitrine como verdadeiros mágicos e extraordinários. Mas, percebemos em nossa leitura que os sistemas meritocráticos, podem estar sujeitos a viés na avaliação do mérito. Pensa comigo, preconceitos sociais, culturais e de gênero podem influenciar as decisões sobre quem é considerado meritório, perpetuando desigualdades existentes na sociedade, ou seja, aqui temos outro equivoco da meritocracia, sem as devidas equidades.  

Em nossas leituras, percebemos que a meritocracia muitas vezes não leva em consideração os privilégios implícitos que alguns indivíduos têm, como resultado de sua origem social, étnica ou econômica. Outro grande equivoco, é a incapacidade de reconhecer e abordar esses privilégios pode perpetuar a desigualdade, mesmo em um sistema aparentemente meritocrático.

Concluindo, enquanto a meritocracia busca promover a doce ilusão da justiça e a igualdade de oportunidades, é essencial reconhecer e abordar as limitações e desafios associados a esse princípio. Uma análise crítica pode levar a ajustes e aprimoramentos que busquem criar um sistema mais equitativo e inclusivo nas oportunidades em nossa sociedade.


Prof. Daniel Mota


CAVALCANTE, Sávio. Classe Média, Meritocracia e Corrupção. Crítica Marxista, n. 46, p. 103-125, 2018.

CHAUÍ, Marilena. A Ideologia da Competência Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: o breve século XX. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.


Comments


bottom of page