top of page

Orson Welles & Herbert George Wells e a "Guerra dos Mundos”

Separando alguns livros para fazermos a feira do livro do Sebo Apucarana, me deparei com uma obra Clássica "Guerra dos Mundos", que ficou mais famosa ainda em uma noite memorável de 30 de outubro de 1938.

Segundo a literatura que relatam referente ao dia 30 de outubro de 1938, dizem que as ondas do rádio ganharam vida de uma maneira que jamais se imaginaria.

          Muitos sintonizaram o programa de rádio-teatro The Mercury Theatre on the Air, onde a magia do áudio criava mundos inteiros na mente dos ouvintes, relatam que foi uma noite que marcaria a história da transmissão radiofônica e tornaria Orson Welles um nome imortal e a obra de Herbert George Wells, "Guerra dos Mundos" reescrita na história.

O palco sonoro estava pronto para uma adaptação singular, uma interpretação moderna e aterrorizante da obra de Herbert George Wells, "Guerra dos Mundos". Naquela época, a rádio era a principal fonte de entretenimento e informação, e Welles, junto com sua companhia Mercury Theatre, decidiu levar a audiência a uma experiência inesquecível.

À medida que as ondas sonoras preenchiam os lares americanos, a narrativa se desenrolava de maneira tão convincente que muitos ouvintes ficaram presos na ilusão de que a Terra estava sendo invadida por seres extraterrestres. A maestria na encenação, os efeitos sonoros inovadores e a entrega apaixonada do elenco contribuíram para uma experiência que transcendeu os limites da imaginação.

A invasão alienígena ganhou vida através dos microfones, e a notícia fictícia se espalhou como um incêndio, levando ao pânico em algumas áreas. As linhas entre ficção e realidade se emaranharam, e a adaptação de Welles tornou-se uma sensação instantânea.

A ousadia de recontar uma obra tão venerada como "Guerra dos Mundos" de uma maneira tão envolvente e realista foi uma jogada audaciosa. Orson Welles, muitas vezes chamado de "menino prodígio" de Hollywood, provou não apenas seu talento como diretor e ator, mas também seu poder de influenciar a psique coletiva.

O legado da adaptação de "Guerra dos Mundos" estende-se além da mera transmissão radiofônica. Tornou-se uma peça fundamental na história do entretenimento, destacando o impacto poderoso da mídia e a capacidade de criar mundos imaginários tão vívidos que desafiam a percepção da realidade.

Assim, naquele 30 de outubro, as ondas de rádio não apenas carregavam sons, mas uma experiência que ecoaria através dos anos, lembrando-nos do poder da narrativa e da magia que pode ser tecida por meio de uma simples transmissão radiofônica. Orson Welles, com sua visão única, deixou uma marca indelével na história da comunicação e do entretenimento.

Não podemos esquecer que a adaptação radiofônica de "Guerra dos Mundos" por Orson Welles teve uma série de consequências significativas.

Na época a transmissão radiofônica foi tão convincente que muitos ouvintes acreditaram que uma invasão alienígena real estava ocorrendo.

O formato inovador e realista do programa, combinado com a falta de informações claras sobre ser uma dramatização, levou a um pânico generalizado em algumas áreas. As pessoas correram para as ruas, telefonaram para a polícia e procuraram abrigos.

E adaptação recebeu críticas intensas devido ao pânico que causou e algumas autoridades e figuras públicas criticaram Orson Welles por não ter deixado claro que era uma peça de ficção, no qual levantou questões sobre a ética na transmissão e a responsabilidade dos meios de comunicação.

Como comentamos, houve um aumento da Popularidade de Orson Welles, apesar das críticas, a adaptação de "Guerra dos Mundos" catapultou Orson Welles para o estrelato. Bem como, sua habilidade em criar uma narrativa convincente e a reação intensa do público demonstraram seu talento único e inovador.

Outra situação ímpar, que a adaptação produziu, foi chamar a atenção não apenas nos Estados Unidos, mas internacionalmente, pois, a repercussão do evento destacou a influência dos meios de comunicação de massa e a capacidade de uma história bem contada em criar um impacto global já naquela época.

Em virtude do pânico gerado pela transmissão levou a uma reavaliação das regulamentações de radiodifusão nos EUA e em outros países, e as autoridades começaram a considerar medidas para evitar que incidentes semelhantes ocorressem no futuro, exigindo uma maior clareza na distinção entre ficção e eventos reais.

Neste sentido, a obra adaptada "Guerra dos Mundos" levou a uma discussão sobre as normas éticas na radiodifusão, pois muitos argumentaram que a peça deveria ter sido precedida por avisos claros de que se tratava de uma dramatização, e isso contribuiu para o desenvolvimento de práticas mais rigorosas em relação à ética na mídia no mundo.

Em síntese, a adaptação de "Guerra dos Mundos" não apenas mudou a paisagem da radiodifusão, mas também provocou reflexões profundas sobre o poder da mídia, a responsabilidade dos criadores de conteúdo e a relação complexa entre ficção e realidade nos meios de comunicação de massa.


Principais obras de H. G. Wells.


  1. "A Máquina do Tempo" (The Time Machine - 1895): Um clássico da ficção científica que introduziu o conceito popular de viagem no tempo. O protagonista, conhecido como "O Viajante do Tempo", explora o futuro distante e encontra diferentes civilizações.

  2. "A Ilha do Dr. Moreau" (The Island of Doctor Moreau - 1896): Uma história que aborda questões éticas relacionadas à experimentação científica. Um naufrago chega a uma ilha onde o Dr. Moreau realiza experiências para transformar animais em seres humanos.

  3. "O Homem Invisível" (The Invisible Man - 1897): Um conto sobre um cientista que descobre uma fórmula para ficar invisível. No entanto, sua invisibilidade desencadeia uma série de eventos trágicos, explorando temas como poder e moralidade.

  4. "Guerra dos Mundos" (The War of the Worlds - 1898): Uma das obras mais conhecidas de Wells, "Guerra dos Mundos" descreve uma invasão marciana da Terra. A narrativa foi adaptada em várias formas de mídia ao longo dos anos.

  5. "O Homem que Podia Realizar Desejos" (The Man Who Could Work Miracles - 1898): Uma história curta que explora o que aconteceria se um homem comum de repente ganhasse poderes miraculosos.

  6. "O Alimento dos Deuses" (The Food of the Gods and How It Came to Earth - 1904): Um romance que aborda os efeitos de uma substância que faz com que seres vivos cresçam desproporcionalmente, provocando caos na sociedade.

  7. "Os Primeiros Homens na Lua" (The First Men in the Moon - 1901): Uma história que narra a viagem de dois homens à Lua e sua descoberta de uma civilização subterrânea conhecida como os Selenitas.

IACHTECHEN, Fábio Luciano. Evolução, progresso e universalidade: elementos do conceito de história em H. G. Wells. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH • São Paulo, julho 2011. Acesso em  15/12/2023.https://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300642689_ARQUIVO_textoANPUH2011-fabioiachtechen.pdf


Prof. Daniel Mota

_________________________________________________________________________________________________________________

Prof. Daniel Mota, possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (1996). Especialização em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR) Campus Curitiba. Pós-graduando na UNESPAR - Universidade Estadual do Paraná, Campus de Apucarana FECEA-PR. Professor com 30 anos de experiência na área da educação, em sala de aula com desenvolvimento de projetos educacionais nas áreas de Filosofia, História e Sociologia bem como consultoria educacional e financeira. Trabalhou por 25 anos no mercado financeiro, é funcionário da rede pública de ensino do Estado do Paraná, proprietário, editor do site Os Argonautas Mídia Alternativa, fundador e proprietário do projeto pela democratização da leitura, Sebo Apucarana.

댓글


bottom of page