top of page

Que Segredos Escondem os Túmulos dos 47 Ronin em Sengaku-ji?

A épica história dos 47 Ronin, conhecida no Japão como "Ch ūshingura", é uma das maiores lendas do período Edo, simbolizando os valores supremos do bushido: o código de honra samurai.


Este relato não só se enraizou profundamente na cultura japonesa, mas também capturou a imaginação do mundo pela sua dramática narrativa de lealdade, sacrifício e vingança.


A história começa com um incidente em 1701 quando o daimio Asano Naganori, senhor do feudo de Ako, foi provocado a um ato de violência contra Kira Yoshinaka, um funcionário do shogunato. Este infeliz acontecimento levou Asano a ser condenado ao seppuku (suicídio ritual), deixando seus samurais sem líder e desonrados, transformando-os em ronin, ou samurais sem senhor.


Liderados por Oishi Kuranosuke, estes ronin foram confrontados com um dilema moral: viver em desonra ou buscar vingança, sabendo que este último os levaria a uma morte certa. Escolheram a vingança, planejando meticulosamente por mais de um ano. Sua lealdade para com seu senhor e seu desejo de restaurar sua honra eram mais fortes do que o medo da morte.


Na noite de 14 de dezembro de 1702, os 47 ronin executaram seu plano. Atacaram a mansão de Kira em Edo (hoje Tóquio), capturando-o sem prejudicar os inocentes. Depois de lhe ter oferecido a oportunidade de morrer honrosamente por seppuku, e perante a sua recusa, ele foi decapitado.


Depois de cumprir sua missão, os Ronin levaram a cabeça de Kira para o templo de Sengaku-ji, onde descansavam os restos mortais de Asano, e entregaram-se às autoridades. Seu ato foi considerado um conflito entre lealdade e lei, e embora muitos os vissem como heróis, a lei exigia seu castigo. O Shogun, impressionado com sua férrea adesão ao Bushido, permitiu-lhes morrer honrosamente por seppuku.


Os 47 Ronin foram enterrados ao lado de Asano em Sengaku-ji, e seu túmulo tornou-se um local de veneração. Sua história ressoa como um lembrete poderoso dos valores do Bushido, encarnando lealdade, honra e sacrifício pessoal em busca de um ideal maior. Ao longo dos séculos, os 47 Ronin continuam sendo símbolos de integridade e devoção, mantendo um lugar sagrado no coração da cultura japonesa.


Fonte: El diario de angell

Comentarios


bottom of page